Humano: Malabarista do Acaso

Pão e Vinho

Mas onde estão os troncos? Aonde estão os templos
e as taças cheias de néctar? E os hinos compostos
para agradar os deuses? Aonde brilham
teus oráculos de longínquos efeitos? Aonde ressoa
a grande voz do destino? Aonde está este destino rápido?
Por acaso ainda descende cheio de felicidades presentes
cegando os olhos, neste ar claro, com o furor de trono?
"Oh, Pai Éter!" Clamavam os peitos e esse grito voava de boca em boca.
Ninguém tinha por que viver só.
Tal bem, repartido entre todos, dá a alegria,
e repetido pelo forasteiro, esse grito se converte
em uma aclamação, e a força desse nome cresce na inconsciência.
"Pai Sereníssimo!" E até onde chega o eco,
esse nome ressoa, símbolo milenar dos antepassados,
criador e efetivo. Porque assim os deuses
nos surgem da sombra que lhes encobrem
e sua luz comove todo o ser dos homens.
A princípio chegam sem ser percebidos.
Seus filhos se rebelam contra eles: demasiado luminosa
e deslumbrante lhes parece a felicidade.
O homem teme os deuses, apenas um semideus saberia
os nomes daqueles que se aproximam cheios de dádivas.
Mas é imensa a coragem que lhe infundem os gozos
que lhe trazem, e não sabe o que fazer com tantas bençãos.
Cria, desperdiça e pensa conferir às coisas profanas
um valor sagrado, quando com sua mão, estúpido e generoso, as abençoa.
Os imortais toleram isto à medida do possível,
e logo aparecem em sua realidade plena e os homens
logo se acostumam com a felicidade e a luz, e a mirar
o rosto divino, sem os véus que há muito tempo
eram apenas por seus nomes conhecidos,
e que lhes asseguravam a alegria das almas tranquilas,
e que desde o início apenas cumpriram todos os desejos.
Porém assim é o homem, quando a sorte está a seu alcance
e um deus em pessoa é quem lhe traz, não o reconhece.
Basta apenas sofrer, para saber expressar o que quer,
e então as palavras justas abrem como flores.

Holderlin

2 comentários:

Marcela disse...

ai, ai, ai...dor, sofrimento, negar a felicidade...não quero isso!! quero acreditar e ser feliz, ou ser feliz sem mesmo acreditar!!
saudadinha...bjs =':'=

Anônimo disse...

felicidade?O que é isso.ah sim, é essa coisa efêmera, que quando pensamos que chegou já não está mais conosco .Fala_se muito e vive-se essa tal muito pouco.Pois bem,existe outros sentimentos que são muito mais perceptíveis.
Abraço.
pedro b. sampaio.